Construir-te

Entre e Fique a vontade!!! Você é bem vindo nesta Construção!!

Quem sou eu

Minha foto
Psicóloga clínica que realizou por 10 anos atuação na Saúde mental da PBH e atualmente dedica aos atendimentos particulares. Participa de artigos nas Revistas Vox objetiva e Tendência Inclusiva. Realiza palestras e entrevistas na mídia impressa e televisiva.

quinta-feira, 31 de janeiro de 2019



   SOBRE A GULA

AutoEstima

Questão de Autoestima
Resultado de imagem para mulher com auto estima

Por: Maria Angélica Falci

Autoestima > Hoje em dia escutamos muito essa palavra. Várias situações se associam a ter ou não autoestima adequada. O sucesso aos projetos pessoais é atribuído a ela. Realmente, ela é um fator muito importante, mas não é algo que compramos numa loja. A autoestima é uma construção que vem no pacote do desenvolvimento desde a infância. Ela vai sendo moldada e transformada em combustível para que as pessoas acreditem mais em seu potencial e sintam-se seguras para investir em seus projetos.

Mesmo aquelas pessoas que não foram estimuladas à construção da autoestima em âmbito familiar, podem mudar essa história e agir diferente. Podem lutar com mais força psíquica para adquirir uma nova construção de si mesmo.

F. Patrick-Rose e G. Jacob (2006) propõem uma abordagem psicoterapêutica para baixa autoestima baseada no que elas chamam de “os quatro pilares da autoestima”, os quais particularmente considero muito interessante: 

1. Auto aceitação: Uma postura positiva com relação a si mesmo como pessoa. Inclui elementos como estar satisfeito e de acordo consigo mesmo, respeito a si próprio, ser “um consigo mesmo” e se sentir em casa no próprio corpo.

2. Autoconfiança: Uma postura positiva com relação às próprias capacidades e desempenho. Ter real noção da suas potencialidades e ferramentas.

3. Competência social: É a experiência de ser capaz de fazer contatos. Inclui saber lidar com outras pessoas, sentir-se capaz de lidar com situações difíceis, ter reações 
flexíveis, conseguir sentir a ressonância social dos próprios atos, saber regular a distância / proximidade com outras pessoas.

4. Rede social: Estar ligado em uma rede de relacionamentos positivos. Inclui uma relação satisfatória com o parceiro e com a família, ter amigos, poder contar com eles e estar à disposição deles, ser importante para outras pessoas.

Vamos pensar na importância que devemos dar a nós mesmos, mas sem perder o sentimento altruísta. É essencial desenvolver passos e ficar mais atento e consciente das próprias emoções, sentimentos e sensações físicas e psíquicas. Ter um relacionamento respeitoso e amoroso consigo mesmo são pontos vitais para conseguirmos dar equilíbrio à vida e, assim, sentirmos felizes, saudáveis e dispostos.

 

domingo, 14 de maio de 2017

Resultado de imagem para pai no celular e filho ao lado

                       Leiam o Novo Artigo: Eu Estou Aqui!
                 Revista Tendência Inclusiva

domingo, 11 de setembro de 2016




Leia na pagina Tendência Inclusiva sobre a Depressão. Entenda melhor sobre.
http://www.tendenciainclusiva.com.br/

domingo, 10 de julho de 2016